Resenha #69: O que há de estranho em mim

Título: O que há de estranho em mim
AutoraGayle Forman
Editora: Editora Arqueiro

Nº de Páginas: 214

Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. 
Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. 
Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

 Olá pessoal, tudo bom com vocês? Primeiramente queria parabenizar todas as minhas leitoras! Parabéns pelo nosso dia! Que conquistemos cada vez mais direitos e respeito em nossa sociedade e que nos façamos ouvir!

***

Confesso para vocês que vai ser difícil falar do livro de hoje. O motivo? Ainda não sei se gostei ou não da leitura! Vocês devem estar pensando: Como assim Pollyanna?!

Bem, eu tenho uma relação de amor e ódio com a Gayle Forman. Li duas duologias da mesma e sempre gosto do primeiro livro e o segundo é tão ruim para mim que acaba estragando o que senti no livro anterior.

Sabendo disso, iniciei a leitura de O que há de estranho em mimsem saber o que esperar de um livro único da autora e bem, terminei a leitura sem saber. Haha

O livro nos trás a história de Brit, uma adolescente normal, com cabelos coloridos, um gênio um pouco difícil e que toca em uma banda de rock. A mesma passou por traumas familiares, dos quais não gosta de falar.

Seu pai, pensando ser o melhor para ela, a coloca em um colégio interno – Red Rock – onde meninas com supostos distúrbios alimentares e de conduta são colocadas para se “endireitar”.

Brit se depara com um duvidoso método de terapia no local, que inclui xingamento mútuo entre as jovens, dedurar infrações alheias, espécie de trabalhos forçados, caminhadas torturantes, enfim! Digamos que o local tem uma metodologia totalmente equivocada e duvidosa – no mínimo – e que se importa com os lucros e não com o bem estar das meninas.


Quando me trancaram na Red Rock, comecei a me sentir vazia, cansada e, na maioria das vezes, revoltada. Em alguns dias, eu simplesmente desejava desaparecer da face da terra. Portanto, não só eu não fazia a menor ideia de quando poderia voltar à minha vida normal, como também não sabia quem eu seria quando isso enfim acontecesse.

As meninas do local variam entre meninas com distúrbios alimentares, com comportamento difícil, lésbicas, com sexualidade aflorada, enfim, todas aquelas que os pais não se sentem capazes de lidar, de cuidar daquela realidade.

Brit de início se isola, mas, acaba encontrando amigas. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam sua válvula de escape naquele ambiente hostil. Juntas, lutarão contra o sistema afim de mostrar ao mundo que não existe nada de errado com elas e que não precisam sofrer uma lavagem cerebral para superarem seus problemas e traumas.



Bem, como eu disse, eu não sabia o que esperar desse livro. Ao começar a ler sobre a instituição no mesmo eu pensei “Nossa, a autora foi criativa aqui viu, não existem lugares assim”. ERRADA. Existem sim lugares assim e a autora os investigou quando ainda era jornalista. Esse foi um ponto que me agradou na obra: conhecer uma realidade que até então eu desconhecia.

Outro ponto positivo – em partes haha – foi a narrativa da autora. A mesma fluiu bem durante toda a leitura, e na maior parte da obra a mesma foi condizente com o seu desenvolvimento. Como assim na maior parte? Bem, em alguns momentos senti a escrita muito superficial. Sentia que haviam sentimentos ali que poderiam ser melhor explorados e quando via o capítulo tinha acabado e autora não havia aproveitado aquilo ali.

Quanto aos personagens, bem, temos ressalvas aqui também. Senti um desconforto muito grande com todos eles no início da obra. Sentia os mesmos um tanto quanto caricatos sabe?! Era mais ou menos “a adolescente rebelde”, “o pai omisso”, “a madrasta malvada”, “o filho do novo casamento mais amado”, “a psicóloga malvada”... desculpem a expressão, mas, sabe aquele mimimi de sempre?! 

Então! A partir do momento que Brit passa a frequentar a escola e se relacionar com suas amigas, senti esses estereótipos sumindo sabe? Terminei a história quase gostando da personagem principal. Gostei muito de V, de cara, e acho que é a personagem com mais coerência na história. As demais amigas de Brit me agradaram também, então temos personagens que agradam e aqueles que você precisa insistir um pouquinho pra gostar ou ao menos tolerar, sabe?

Gostei muito da avó de Brit também! É a personagem secundária que mais me cativou nessa história. Ver por tudo o que a mesma passou em relação a filha e a força que a mesma mantém para tentar ajuda-la e ainda dar suporte a neta me deixaram com um sentimento afetuoso quanto a ela.

Quando aos temas abordados, os achei bem interessante. A autora nos leva a repensar sobre família, sobre a linha tênue entre sanidade e loucura, coragem, amizade, sobre aceitar o diferente ou tentar lidar com ele... enfim! Temas muito interessantes são questionados nessa obra.

Bem, em relação à parte gráfica, a capa é linda, a formatação e diagramação padrão e não encontrei erros de revisão.

Bem pessoa, é isso! Esse foi um livro três estrelas para mim e não sei dizer ainda se gostei ou não. Como viram, foram pontos positivos e negativos que tenho que reanalisar para chegar a uma conclusão.

E vocês? Já leram esse livro? O que acharam? Tem vontade de ler? Compartilhem suas opiniões nos comentários! Beijos e até a próxima resenha. ^^’


25 comentários:

  1. Sim, eu tenho vontade de ler! Principalmente porque esse livro está dividindo as opiniões, então eu fico bem curiosa pra entrar na discussão. Hahaha

    ResponderExcluir
  2. Oie, foi o primeiro livro dela que gostei. Os outros livros da autora não funcionaram pra mim e isso me deixou decepcionada.
    Acredito que ele seja um livro que divide opiniões, porém eu adorei.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Oieee. Eu morro de vontade de ler esse livro! Já li outros dois da Gayle mas foram únicos, como esse! Achei muito interessante a história pq já sabia que existia esse tipo de lugar horrível.Isso parece tão medieval né?Entendo o seu ponto de vista mas, ainda assim tenho curiosidade em ler para tirar minhas conclusões. Bjosss

    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi!

    Acho que esse é o livro que as pessoas mais estão lendo ultimamente porque vejo muitas resenhas e comentários sobre ele. Não tenho vontade de ler nada da autora não sei porque, mas O que há de estranho em mim foi sem dúvidas o livro dela que mais me chamou atenção e mesmo assim não é um livro que eu leria no momento. Você é a primeira pessoa cuja opinião li que não sabe se gostou ou não do livro porque a maioria é só elogios rsrs

    http://infinitudedepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. No meu caso, o relacionamento com a autora é só de amor e amor. Estou louca para ler esse livro também. Alguns amaram e outros não gostaram tanto, mas isso só fez aumentar a minha curiosidade.

    bjs.

    http://www.ciadoleitor.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, nunca li nada da autora (mesmo tendo dois livros dela na estante, afff), mas acredito que, mesmo sendo sua primeira publicação, essa obra tem se mostrado um verdadeiro fenômeno. A cada semana vejo diversas resenhas, todas muito positivas, fazendo com que eu fique mais ansiosa pra ler esse livro.

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  7. eu sinto vontade de ler, e queria começar algo da autora justamente por ele... gostando ou não, causou estranheza, né??? apesar dos pontos negativos da obra, acredito que os positivos me fariam apreciar a história...
    bjs...

    ResponderExcluir
  8. Olá, tenho muita vontade de ler esse livro. Gostei muito de Eu estive aqui e esse livro também apresenta uma ótima temática. Ótima resenha, me deixou ainda mais curioso em ler para tirar minhas próprias conclusões já que ele dividiu a sua opinião. Bjos, <3

    http://carpediemliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li O que há de estranho em mim, mas pelas milhões de resenhas que leio sempre, a realidade demonstrada no livro, não é muito distante de algumas instituições no Brasil. Quanto a autora, tentei ler um livro dela e não curti a escrita.

    ResponderExcluir
  10. Olá, eu ainda não li nada da Gayle Forman, alguns livros dela não chamam muito a minha atenção, mas desde que li a sinopse desse, eu fiquei com muita curiosidade de lê-lo, pois a premissa despertou bastante o meu interesse.

    ResponderExcluir
  11. Oiiie
    Muito boa sua resenha, gostei pra caramba do enredo e da capa, já li alguns da autora e gosto muito dela, e esse é exatamente o tipo de livro que curto ler

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Segunda leitura que faço dessa autora e adorei! O livro é bom sim, pra mim, ela tocou em uma ferida que poucos têm coragem de abordar, não conheço muitos livros com essa temática. Diferente de você, eu gostei da forma como a autora abordou os personagens, mesmo os que você chamou de mimimi, os já clichês. Enfim, é questão de gosto. Eu adorei essa história.

    ResponderExcluir
  13. Olá :D
    Já tinha visto a resenha desse livro em outro blog e achei essa estória muito bem bolada. Ele inclusive está entre meus livros desejados.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi! Não posso ajudar muito na tua decisão porque ainda não li a obra. Gosto bastante da escrita da Gayle e de como monta histórias, mas também só li livros dela com sequência. A parte da pesquisa realmente rende pontos positivos pra ela e sobre a personagem principal, será que não foi falta de "bater o santo" com o teu?

    Ainda com a tua indecisão, adorei a resenha!

    Beijos! Cass | www.livroseoutrascoisas.com.br

    ResponderExcluir
  15. É uma história bem tensa não é mesmo, fica difícil definir o que desagradou, mas eu leria mesmo assim, por que vc me deixou curiosa para saber o desfecho dessa história. Bjkas

    ResponderExcluir
  16. Já vi outras resenhas desse livro e achei um tema bem forte e pertinente. Fiquei bem curiosa com a leitura, apesar de achar que o livro pode ser um pouco chocante.
    Adorei as fotos. :)
    www.prateleirasemfim.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi, tenho muita vontade de ler o livro e sempre leio comentários positivos do livro e isso me anima ainda mais. Os seus poréns na resenha me deixou meio que com um pé atrás, mas devido os assuntos, ou o assunto principal que seria os maus tratos nessa "clínica", eu vou me arriscar a ler sim, gosto de livros que no meio da ficção me tragam assuntos verdadeiros, que acontecem sim no nosso mundo real e que muitas vezes ou não vemos ou não damos tanta bola assim, é bom refletir sobre cetos assuntos enquanto lemos um livro.

    bjs

    ResponderExcluir
  18. Achei o pai da Brit um grande babaca (e olha que eu nem li o livro).
    Mas achei a premissa da história bem interessante e leria numa boa.
    Tenho muita curiosidade de ler algo da autora.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  19. Oie, tudo bem? Esse livro tem sido bastante comentado. Quando lemos um livro de uma autora e é muito bom isso faz com que criemos expectativas e esperamos que todos os outros sejam tão bons quanto. Sempre leio opiniões positivas sobre ela. Sua resenha ficou excelente. Beijos, Érika

    - www.queroseralice.com.br -

    ResponderExcluir
  20. Nossa, mesmo não sabendo se gostou ou não deu para perceber que o livro despertou vários sentimentos em você e eu não fazia ideia que esse livro era sobre algo tão profundo quanto essas coisas de sanidade, família , rejeição. Pena você ter muitas ressalvas sobre a narrativa.Mesmo assim leria o livro.

    bjsss


    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  21. Já li O que há de estranho em mim e eu adoreiii a escrita da Gayle Forman, nunca tinha lido nada dela e fiquei apaixonada.
    Achei a critica social que ela fz mto boa e nos fazem pensar com certeza.
    QUEM SERIA OS DOIDOS NA VERDADE? Eu me peguei pesando assim qdo terminei.
    Recomendo mto.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  22. Olá

    Caramba serio é perdi as contas de quantas resenhas vi desse livro e cada vez me arrependo mais de não te-lo comprado na promo da Americanas. Adorei sua resenha, foi a primeira que eu vi sendo sincera sobre os pontos negativos, o pessoal foi só amor, como se fosse obrigação falar bem do livro quando não gostou tanto.

    Bjos
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Eu gostei dessa leitura, achei que teria uma carga dramática que não teve, mas gostei de um modo geral.
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. OI, tudo bem? Então... Acho que o seu blog foi um dos que deixei de comentar no prazo. Desculpa mesmo! Mas aqui estou...
    Sobre seu post, apesar de ver muitos amigos lendo esse livro nunca me interessei a ponto de ler a sinopse, e bem agora que li, realmente não parece o estilo de leitura que gosto.Quem interna a própria filha sendo que ela é normal? Bem sobre a autora, li apenas um livro dela "Se eu ficar" e sinceramente fiquei entre o amor e o ódio com ele, pelo simples fato dele ser triste demais para o meu coração!
    Sua resenha está ótima. Parabéns adorei o layout!

    Bjs, Maria Clara Vieira.
    http://nasnuvenscmc.blogspot.com.br/2016/03/resenha-te-amarei-para-sempre.html#comment-form

    ResponderExcluir
  25. Nossa Polly vc não soube mesmo se decidir se gostou ou não da leitura. Mas adorei acompanhar seus argumentos e ponto de vista. Parabéns pela leitura e obrigado por compartilhar suas impressões aqui.
    Confesso que estou louca para ler esse livro, justamente pela temática atual dele. Essa questão das pessoas que não se enquadram em padrões e tudo que elas sofrem dentro ou fora das "Instituições" nos levam a várias reflexões e questionamentos pertinentes.
    Enfim está na lista de desejo. Beijos

    P.s. Te espero lá no blog.

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir