Resenha #60: Ligeiramente Maliciosos

Título: Ligeiramente Maliciosos
Autora: Mary Balogh
Editora: Editora Arqueiro
Nº de Páginas: 280

Ligeiramente Maliciosos - Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima.
Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor.
Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith.
Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora?
Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje venho falar um pouquinho sobre o segundo livro da série “Os Bedwyns”, que já adianto, virou um dos meus queridinhos do gênero!

Quem leu minha resenha de Ligeiramente Casados (leia aqui) pode observar que eu tive algumas ressalvas quanto ao desenvolvimento do enredo e a escrita de Mary, que naquela obra não foi fluida desde o início. Bem, fico muito feliz que todos os pontos que me desagradaram não estavam presentes no segundo exemplar desta série e que ao contrário do que esperava, este acabou me cativando ao ponto de mal conseguir larga-lo.

Iniciamos a obra conhecendo a história de Judith, uma mulher bela, mas que não tem consciência deste fato por sempre ter sido diminuída por seu pai, um pastor extremamente conservador, que faz com que a filha acredite que os cabelos ruivos e as curvas em seu corpo sejam motivos de vergonha. 

Em um momento em que sua família vive uma crise financeira causada por seu único irmão homem, Judith é encaminhada para casa de sua tia, para viver como uma empregada de luxo. O vislumbre de seu futuro não lhe agrada em nada e é impulsionada a criar uma lembrança que valha por toda sua vida miserável, que aceita o convite de um cavalheiro para buscar ajuda, após o acidente que a diligência que a levava a seu destino sofreu.

Na oportunidade, Judith se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente que está a caminho de York, para interpretar um novo papel. A partir daí Claire e Ralf – o cavaleiro de sorriso zombeteiro que a ajuda após o acidente – começam um jogo de sedução, tendo em vista a inegável atração entre os dois. Tais jogos acabam resultando em uma noite repleta de luxúria e amor.

Quando chega o momento, Judith parte em direção a casa de sua tia, para cumprir as obrigações assumidas. O que ela não imaginava é que Ralf Bedard não era quem dizia ser. O mesmo é Rannulf Bedwyn, que partia para Grandmaison Park para cortejar sua prima Julianne Effingham.

Quando os dois se reencontram, além do choque inicial, é nítido que a atração que sentiram continua ali. A partir daí cabe a Rannulf e Judith a difícil decisão entre seguir os padrões aceitáveis para a época em que, caso fosse descoberto o que Judith havia feito, a mesma poderia ser considerada perdida ou se entregar aos sentimentos que visivelmente ainda estão entre eles.

Bem, como vocês puderam ver, a premissa não é nada inovador, mas, o que torna esse romance de
época especial é a forma como Mary Balogh o desenvolve.

Seus personagens parecem ter vida própria e isto faz com que cativem os leitores. A forma como Judith se mostra decidida, mesmo tendo sido criada claramente para ser submissa, faz com que percebamos sua força, mesmo que ainda adormecida. Outro ponto em sua personalidade que me conquistou foi sua paixão pela atuação, mesmo sendo considerado imoral pela sociedade da época. É possível sentir a vivacidade da personagem.

Quanto a Rannulf, bem, ele é o tipo de protagonista masculino que arranca suspiros. Apesar de sua fama de mulherengo, ele se mostra um personagem sensível e com conteúdo, sem ser necessariamente aquele mocinho que faz sempre o esperado.

Bem, é claro que a união de dois personagens com tais características só podia dar certo. A química entre o casal é inegável e extremamente cativante.

Outra personagem que me encantou foi Lady Beamish, a avó de Rannulf. Sua personalidade é muito mais explorada neste livro e conhecendo-a melhor, bem, é impossível não se encantar.

A narrativa da autora me prendeu desde o início desta vez e, ao contrário do primeiro livro, não percebi nenhuma parte que tenha sido corrida ou mal desenvolvida e muito menos cenas desnecessárias.

A obra é muito bem ambientada. Além de explorar os costumes e eventos sociais dos Séculos XVIII/XIX, o mesmo traz confusões próprias da época, que fez com que explorasse um pouco mais o enredo, dando um “que” de aventura no mesmo.

Acho que já deu para perceber que me empolguei um tantinho com este livro né?! Rs Acho que poderia falar por horas sobre ele, mas, como não quero cansar vocês, acho que já disse o suficiente para expor meu ponto de vista.

Deixo aqui a indicação deste romance de época incrível, envolvente e cativante e digo feliz que mal posso esperar pelo próximo volume da série!

É isso pessoal, não deixem de ler e comentar! Beijos e até o próximo post!



19 comentários:

  1. Oi Pollyana.
    Eu adoro romance de época, mas não me interesso por esse porque além de não ter nada inovador que desperte minha curiosidade, não me identifiquei com a escrita da autora.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. pode surtar agora ou daqui a pouco?
    sou apaixonada por estes romances de época e ja faz um tempo que acompanho o trabalho da Mary no face, com as multiplas divulgações! Estou conhecendo uma nova forma de escrever romance de época que esta me encantando! Mary tem um jeito especial de escrever
    ja apaixonada
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Romances de época me encantam, mas eu nunca consegui parar para ler algo do gênero, além de Jane Austen. Adorei sua resenha.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Pollyanna!
    Não sou fã do gênero, nem sei se posso dizer isso porque nunca li nenhum romance de época, admito que tenho vontade de conhecer, mas como não curto romance acho que o fato ser de época não ia alterar tanto meu conceito. Tenho alguns na minha wishlist e espero poder comprar logo para tirar minha dúvida kkkk
    Abraços,
    Duda - www.mylittlewonderland.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Um amigo leu esse livro e fez uma resenha MEGA empolgada e eu já tinha ficado com vontade de ler e agora, sua resenha detalhada, me deixou ainda mais curiosa. Adoro autores que não se perdem, que não tem aquela necessidade de correr com a história porque sabem o que estão fazendo e me parece que a autora conseguiu criar um ótimo livro!! Não vejo a hora de poder ler!
    Beijos

    LuMartinho

    ResponderExcluir
  6. Adorei a sua resenha, você escreve muito bem, mas esse não é o meu tipo de livro favorito, estou numa vibe muuuito distopias, é só dar uma olhadinha no meu blog que você vai ver
    Abraços
    Miguel do demasiadamentelendo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oie!! Ainda não tive oportunidade de ler romances de época, mas as sinopses sempre me interessam!!
    Adorei a sua resenha, você escreve muito bem!!!
    Beijos

    www.notavelleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oie!!!

    puxa amo..amo romance de época♥♥♥ meus xodós rsrsr, mas ainda não li Ligeiramente Maliciosos porém já li o próximo livro Ligeiramente Escandalosos na edição portuguesa - e sim! não faço muito sentido - adorei sua resenha, me deixou com mais vontade ainda de ler. beijão*...*
    http//notinhasderodape.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Primeiramente esta capa está maravilhosa, a editora Arqueiro vem arrasando quando o assunto é romance de época, não?
    Eu estou com muita vontade de ler este livro, ainda não mergulhei de cabeça nesse tipo de romance, porém sei que irei amar, afinal sou uma romântica incurável ;)
    Adorei a resenha e a riqueza de detalhes que vc nos trouxe, parabéns!

    xoxo
    http://www.amigadaleitora.com/

    ResponderExcluir
  10. ah, uasha, adorei sua resenha, eu tbm poderia falar do livro por horas, simplesmente estou amando os livros da Mary, quero muito ler o proximo *-*
    ps.: foto muuuita essa que vc tirou :D
    www.muchdreamer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oiee, Eu só li por enquanto ligeiramente casados. e é um amor.. ansiosa para ler este. Adorei a resenha. beijo

    http://vampleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem?
    Eu tenho que admitir que não sou uma grande fã de romances de época, pois não gosto muito de mocinhas submissas, mas alguns livros são exceção, e parece ser o caso de Ligeiramente Maliciosos, eu tenho uma certa expectativa em relação ao livro, espero não me decepcionar.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Acho incrível quando lemos um livro de uma autora que não nos agrada muito, mas então somos completamente cativados por ela em outro dos seus livros. Isso só mostra que devemos sempre dar uma nova chance ao escritor.
    Ligeiramente Maliciosos parece ser um romance realmente maravilhoso! Adoro quando personagens se encontram assim, inusitadamente, depois de já terem trocado "intimidades". E sendo um romance de época, sei que vou gostar ainda mais da ambientação e dos conflitos morais disso.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Eu amo essa capa e já estou com o livro para ler, Mesmo parecendo uma história clichê, como você mesmo disse a escrita da autora contagia e quero muito ler. Amo romances de época. A capa está linda . beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia esta série, nem a autora...
    Mas sua resenha com certeza me instigou a conhecer... Parece ser aquelas histórias tranquilas de ler e que nos prendem do começo ao fim...
    Dica super anotada ;-)

    Bjo
    escritaseleituras.weebly.com

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Esses romances de época são ótimos. A história parece ser envolventes e os personagens fortes. Além disso a capa é linda. Com certeza esse já entrou pra mim lista de desejados.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá! Gostei muito da resenha e confesso que estou muito curiosa para ler esses livros da autora! Amo o gênero e como estou a viciada fiquei com muita vontade de ler. Que pena que não tenha te agradado tanto no início o primeiro, mas pelo menos o segundo arrasou o coração em? A premissa parece ser bem interessante e não vejo a hora de ler.
    A capa é linda <3.
    Beijos e muito sucesso.

    ResponderExcluir
  18. Inúmeras pessoas estão falando tão bem dessa série da Editora Arqueiro que estou doida para adquiri-la e lê-la logo! Não tenho um histórico muito grande de leituras quando o assunto é romance de época, na verdade nem sei se já li algum, não lembro, mas gostei muito da sua resenha mesmo a historia não sendo tão inovadora assim.


    Bjokas!

    ResponderExcluir
  19. Oie, eu sou uma apaixonada por romances de época, já li todos da Arqueiro rsrs. Mas Ligeiramente Maliciosos eu ainda não li, acabei passandon "Príncipe dos Canalhas" na frente dele rs. Eu li o primeiro da série Os Bedwyns, e ler sua resenha só me fez querer ainda mais ler ele!

    Adorei muitoooo o post!

    Beijos ;*

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir