Resenha #51: Ligeiramente Casados

Título:Ligeiramente Casados
Autora: Mary Balogh
Editora: Editora Arqueiro
Nº de Páginas: 288

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. 

Acredito que esteja me tornando redundante em meu discurso, quando digo o quanto sou fissurada em romances épicos. Desculpem-me se este for o caso, mas, simplesmente não consigo evitar.

É impossível iniciar uma resenha sem dizer que, o que me levou a ler este livro foi o simples fato dele ser um romance de época.

Sendo assim, mesmo nunca tendo tido contado com a escrita da autora, apenas por saber que seria mais uma daquelas obras ambientadas em tempos pretéritos e que nos trazem clichês carregados de romantismo, bem, não deu outra. Corri para solicitar o exemplar e posso dizer que não me arrependo nem um pouco, apesar de ter algumas ressalvas a fazer a respeito da leitura.

Ligeiramente casados é o primeiro volume da série Os Bedwyns e nos apresenta a história de Aidan Bedwyn, um Coronel honrado, que no leito de morte de um subordinado, lhe promete proteger sua irmã Eve Morris, custe o que custar.

Ao procurá-la, Aidan descobre que a única forma de protegê-la é através de um casamento por conveniência, às pressas, caso contrário Eve perderá a herança de seu pai e, consequentemente, ficará na miséria.

Unidos pelo matrimônio, pelo resto de suas vidas, os mesmos planejam não mais se verem, mas, é claro que isso não acontece. O destino age mais uma vez e bem, em meio a uma convivência um tanto quanto forçada, os mesmos descobriram o amor.

"- ... eu os declaro marido e mulher, em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Amém. - Solene, ele fez o sinal da cruz com a mão direita. [...]
Os dois estavam casados. Até que a morte os separasse."

A narrativa de Mary Balogh não me cativou desde o início. Precisou de pelo menos cinquenta páginas para que eu me visse presa ao livro, algo que de certa forma me incomodou, posto que isto não costuma acontecer quando leio este tipo de romance.

Era como se, em meio a correria que ocorre no início da obra, a autora não conseguisse me transpassar os sentimentos ali vividos, ainda que conflituosos, mas, isto não ocorreu em todo o livro.

Quando a mesma passou a se aprofundar nos personagens, bem, a coisa mudou de figura. O relacionamento começou a fluir muito bem e, era praticamente impossível saber quem era o mais cabeça dura entre os dois.

O romance desenvolvido entre uma mocinha que não tinha nada de frágil e o coronel de palavra que fora treinado para proteger nos rende bons momentos e o fato de nenhum dos dois caírem de amores um pelo outro já de cara, deu um toque de veracidade na história, que fez com que eu gostasse ainda mais do livro.

Algo que não posso deixar de dizer é que senti falta do romance em si, dos momentos do casal. A autora criou tantos empecilhos entre eles que em alguns momentos eu dizia mentalmente “ está ok, já deu dessas discussões”. Os motivos que geravam os desentendimentos eram algumas vezes tão sem importância que fazia com que a leitura se arrastasse um pouco.

Foi exatamente este motivo, juntamente com minha dificuldade de me afeiçoar a obra de cara, que fez com que eu gostasse do livro, mas, que este não se tornasse um de meus favoritos.

É um bom livro? Sim! Se eu gostei dos personagens e enredo? Na maior parte do tempo sim, mas, existem pequenos pontos que não o deixam ser melhor.

Quanto as questões gráficas, bem, o livro fora bem revisado e a diagramação simples era o que o livro pedia. A capa não é uma de minhas favoritas, mas, não chegou a me desagradar.

Bem, acho que é isso. Fica mais uma recomendação de um romance épico que, no geral, é um bom livro, só não um dos melhores do gênero. Não deixe de ler e de tirar suas próprias conclusões. Espero que tenham gostado e que comentem! Beijos e até a próxima






Título: Se eu ficar
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Nº de Páginas: 224
- See more at: http://entrelivrosepersonagens.blogspot.com.br/#sthash.GK8kCEgo.dpuf
Título: Se eu ficar
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Nº de Páginas: 224
- See more at: http://entrelivrosepersonagens.blogspot.com.br/#sthash.GK8kCEgo.dpuf

14 comentários:

  1. Polly querida obrigada pela visita e comentário lá no blog. Sua presença por lá é mega importante.
    Que máximo que vc leu e escreveu uma ótima resenha desse livro. Como vc viu estou no início do livro e estou gostando.
    Já estou viciada nesse estilo as séries da Lisa Kleypas e da Júlia Quinn são as responsáveis por isso, agora quero ler todos os romances de época que eu conseguir.

    Parabéns pela resenha ficou ótima. A capa do segundo livro da série está mais bonita vc viu!!!!!!??? Beijos querida é ótimo mês!!!

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço a retribuição e comentário, de verdade mesmo ^^'
      Romances de época são assim, uma vez que começamos a ler, nunca mais temos a vontade de parar rs, e com os lançamentos da Arqueiro, se torna realmente impossível abandonar esse "novo hábito" ^^ Fico feliz que tenha gostado da resenha e, feliz em saber também que as capas dessa série tendem a melhorar! rs

      Obrigada pelo comentário! Bjs

      Excluir
  2. eu to lendo esse livro e estou na pagina 47 e já de saco cheio dessas coisas de um ficar irritado com o outro ¬¬ mt chato isso!

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice! Não desista por isso pq, ainda assim, vale muito a pena ^^' Muito obrigada pelo comentário ;D Bjs

      Excluir
  3. Oi, Pollyana!
    Li o livro e gostei muito muito, adoro romances de época e esse é um dos bons. Uma mocinha forte e decidida e um mocinho mais introspectivo é uma boa combinação. Já estou curiosa pelos próximos livros! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  4. Olha até então esse livro não tinha chamado minha atenção, mas depois de ler a sua resenha acabei me interessando e espero ter a oportunidade de ler e também de completar a minha série DUQUE E EU, pois todos falam que esses livros são muito bons.

    Adorei sua resenha, porque fiquei bastante curiosa sobre a história.
    Espero ter a oportunidade de tê-lo em minha estante.
    Logo o Black Friday vai esta ai e eu vou fazer a festa ! hahahaha

    Se cuida linda e parabens


    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Já estou com esse livro aqui,
    só me falta tempo para ler
    Gostei bastante da resenha

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Não sou a maior fã desse tipo de livro, então nem me interessei pela obra. Mas todos falam muito bem das histórias dessa autora.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Tenho muita vontade de ler essa série, mas ainda não tive oportunidade! Ela está na minha listinha a muitooooo tempo. Gostei bastante da resenha e, acredite, nunca li nenhum romance de época e me sinto uma completa alienígena por isso hahah Tenho vontade de começar a me envolver com esse gênero, mas a lista ta tão grande que sempre coloco outro livro na frente :/ Enfim, adorei a resenha! Beijos e tenha uma ótima semana!! :D
    http://maluquice-de-garota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Polly!
    Quando vi a capa desse livro e li a sinopse, já quis logo, msm sem ler nenhuma opinião ou conhecer a autora kkk
    Romances históricos são vida <3
    Mas entendi o que vc quis dizer na resenha, e fico feliz em saber.
    Beijos!
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
    // tem Conto e Foto do Leitor rolando no blog! //

    ResponderExcluir
  9. Oi Polly!
    Eu também não fui conquistada de cara pelo Aidan, porque os Bedwins são bastante sérios e fechados, mas a narrativa da autora foi me conquistando aos poucos pela consistência, o que faltou em comédia e erotismo sobrou em ambientação histórica e veracidade de sentimentos, então irei continuar acompanhando a série, estou curiosa principalmente com o livro do Wulfric.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  10. Olá Polly!
    Me interessei muito pelo livro! Já passei por ele várias vezes pelas livrarias da vida (hahaha),mas não li sinopse, mas depois da sua resenha ótima vai pra listinha *--*
    Beijos

    http://meninade22.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Pollyanna!
    É tão chato quando um livro demora a engatar... Dá até vontade de desistir. Que bom que depois ele melhorou!

    Beijos,

    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  12. Nossa, comigo foi o contrário: comecei no embalo e depois de um tempo fiquei meio... meh. Foi impossível traçar um paralelo com a série Os Bridgertons, da Julia Quinn, e achar a família Bedwyn, em comparação, um tanto insossa. O livro é até bom, realmente, mas cheio de clichês desnecessários.

    http://thefatunicorn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir