Resenha #135: Uma noite inesquecível

Título: Uma noite inesquecível
AutorLisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 144


O Natal está se aproximando e Rafe Bowman acaba de chegar a Londres para uma união arranjada com Natalie Blandford. Com sua beleza estonteante e o físico imponente, ele tem certeza de que a linda aristocrata logo cairá a seus pés. 
No entanto, seus terríveis modos americanos e sua péssima reputação de farrista deixam Hannah, a prima da moça, chocada. Determinada a proteger Natalie, ela vai tornar a tarefa de cortejar a jovem muito mais difícil do que Rafe esperava. 
Hannah, porém, logo começa a se importar mais do que gostaria com o rude pretendente da prima. Rafe, por sua vez, passa a apreciar um pouco demais a companhia de Hannah, uma mulher forte e pragmática com um coração doce e gentil. E quando Daisy, Lillian, Annabelle e Evie, quatro amigas inseparáveis que já conseguiram encontrar o homem de seus sonhos, decidem agir como cupidos, quem sabe o que pode acontecer? 
Uma noite inesquecível é uma viagem mágica pela Londres vitoriana, com os diálogos espirituosos e personagens memoráveis que consagraram Lisa Kleypas como uma das autoras de romances de época mais aclamadas pelo público. Nesta continuação da série As Quatro Estações do Amor, os mais cínicos se tornam românticos e até os mais tímidos suspiram, arrebatados de paixão.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de resenha e venho falar com vocês sobre um livro muito amor que li recentemente: Uma noite inesquecível. O mesmo é um extra da série As quatro estações do amor, da autora Lisa Kleypas. Vem saber um pouco mais sobre ele!


Estou falando de amor verdadeiro, do tipo que faz você sentir impetuosidade, alegria e desespero ao mesmo tempo. Aquele amor que o inspiraria a fazer qualquer tipo de sacrifício pelo bem da outra pessoa.

O livro vai nos trazer a história de Rafe Bowman, irmão das americanas Lilian e Dayse. O mesmo está chegando à Inglaterra para concretizar uma união arranjada com Natalie, uma moça de família aristocrática. Tudo seria resolvido muito fácil se não fosse por Hannah, a prima e dama de companhia da pretendente de nosso mocinho americano. Ela fica chocada com os modos do rapaz e resolve fazer de tudo para dificultar a união do mesmo com sua prima.

Com a convivência, Rafe começa a admirar Hannah e a observar suas qualidades e a mesma passa a se importar cada vez mais com o pretendente de Natalie.

É através dessa premissa que veremos um lindo romance se desenrolar, claro, com a ajuda das nossas flores secas, que nesta obra resolvem atacar de cupido, nos rendendo uma apaixonante e divertida trama.


Não sei vocês, mas, quando termino uma série da qual gosto muito sempre fico sentindo falta dos personagens e pensando como será que estaria a vida deles após o desfecho. Sendo assim, foi mais que um presente poder acompanhar um pouco mais os personagens de As quatro estações do amor, ainda que em segundo plano.

Este é um daqueles livros que nos conquistam e nos fazem sentir aquele “quentinho no coração” sabe? É uma leitura curta, despretensiosa, que nos brinda com um romance apaixonante, divertido e que nos ganha logo nas primeiras páginas. Como se já não bastasse os personagens principais que nos conquistam e cativam, ainda contamos com a presença das quatro amiga Lilian, Anabelle, Dayse e Evangeline. Neste livro as quatro já se encontram muito bem casadas, mas, quem disse que elas não se interessam mais por casamentos? Muito pelo contrário! Neste extra elas acabam atacando de cupidas, o que eu simplesmente amei.

Além de podermos ver um pouco mais de sua vida de casadas, acompanhar o devasso Rafe se apaixonar e Hannah se sentir pertencer a um lugar e finalmente ser tratada da maneira como merece, cercada de carinho e amor, ainda temos o enredo ambientado no clima natalino, que deixa tudo ainda mais mágico.

E ela se lembrou de algo que tinha esquecido: o Natal não era apenas um dia. Natal era um sentimento.

A escrita de Lisa continua super fluida e envolvente. A mesma construiu a trama com maestria, deixando seu recado e conquistando ainda mais os seus leitores. Mal posso esperar por mais histórias incríveis criadas pela mesma.

Por ser um livro curto, não vou falar mais nada para não tirar a graça caso resolvam ler este livro. Deixo aqui minha recomendação, garantindo a vocês que foi uma leitura maravilhosa e que se tornou uma de minhas favoritas.

Espero que tenham gostado da indicação! Beijos e até o próximo post ^^



2 comentários

Resenha #134: Magia dos Quatro

Título: Magia dos quatro
AutorPriscila Visacri
Editora: Arwen
Nº de Páginas: 278


Sonhos premonitórios, uma amiga misteriosa, uma viagem no tempo e um mundo paralelo. É este o cenário da vida de Sarah quando ela descobre que é uma princesa de um reino chamado Calien e que fora enviada ainda bebê para a Terra através de uma magia muito antiga para que pudesse se manter salva da guerra que o mal e as trevas travavam em seu reino. Agora ela precisa regressar à suas origens e aprender a dominar a magia dos quatro elementos para proteger a si, aos seus amigos e a um reino inteiro. Magia dos quatro: a oportunidade única de vivenciar momentos de aventura e emoção na busca de acabar de vez com um conflito mortal através do uso das forças vitais da natureza.

Olá gente!!! Recebi esse livro da Polly após uma verdadeira saga... enfim, o livro chegou em uma quinta, comecei a leitura na sexta e finalizei no sábado.


Vou iniciar falando do layout do livro: me agradou muito. Poucas vezes vi um livro nacional para o público jovem com tão belas ilustrações e compreendi a capa após a leitura.


Bom, como já disse, esse livro é para o público jovem, é uma história fantástica, as personagens estão no último ano do ensino médio e me lembrou muito alguns livros da Coleção Vaga-lume.

A nossa protagonista se chama Sarah, mora com a mãe em São Paulo, estuda no último ano do ensino médio, tem como melhores amigos, Beto e Júlia. Um dia, entra na sala uma menina nova, Alexia, que logo se aproxima de Sarah, tendo muitas afinidades e também a deixa muito intrigada. 

Sarah, se vê tendo muitos pesadelos, não sabe, como interpretá-los. Neles, se vê com pessoas e em lugares desconhecidos. 

Alexia, se mostra amiga de Sarah, e vai revelando pouco a pouco seus mistérios, e eles têm a ver com Sarah, já que Sarah, é uma princesa que foi enviada a Terra para ser salva, crescer e depois ser resgatada e levada novamente para Calien, que é o lugar ao qual pertence. Com novos amigos, ela percebe que tem poderes sobrenaturais e com a ajuda deles, os desenvolve e os domina e assim, pode proteger a sua vida, de seus amigos e de seu reino de Raven, que quer dominar toda a terra e estabelecer seu reinado de terror.


Não gosto de dar spoilers, por isso vou parar por aqui, mas digo que é uma leitura que flui. O livro contém capítulos curtos que proporcionam essa rapidez. Trata-se de um livro bem jovenzinho, MAS é uma série, não sei como quantos livros e nem mais detalhes, e  eu não sei vocês, mas eu estou meio cansada de série de livros.
De qualquer modo, a leitura é super válida, muito agradável e rápida!

Espero que vocês tenham gostado da resenha. Não deixem de comentar! Beijos e até o próximo post.

Resenha escrita por Ana Carolina


10 comentários

Resenha #133: Volúpia de veludo

Título: Volúpia de veludo
AutorLoretta Chase
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 320


Simon Fairfax, o fatalmente charmoso marquês de Lisburne, acaba de retornar relutantemente a Londres para cumprir uma obrigação familiar.
Ainda assim, ele arranja tempo para seduzir Leonie Noirot, sócia da Maison Noirot. Só que, para a modista, o refinado ateliê vem sempre em primeiro lugar, e ela está mais preocupada com a missão de transformar a deselegante prima do marquês em um lindo cisne do que com assuntos românticos.
Simon, porém, está tão obcecado em conquistá-la que não é capaz de apreciar a inteligência da moça, que tem um talento incrível para inventar curvas – e lucros. Ela resolve então ensinar-lhe uma lição propondo uma aposta que vai mudar a atitude dele de uma vez por todas. Ou será que a maior mudança da temporada acabará acontecendo dentro de Leonie?
Volúpia de veludo, terceiro livro da série As Modistas, é uma história de amor envolvente, com personagens femininas fortes e determinadas que transitam com perfeição entre o romantismo e a sensualidade.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de resenha de romance de época! O livro da vez é Volúpia de Veludo, o terceiro livro da série “As modistas” escrito pela autora Loretta Chase. Vamos saber um pouquinho sobre minhas impressões de leitura?


Só um momento e acabou. Só um momento, mas havia toda uma vida entre o Antes e o Depois.

A trama da vez é a de Leoni, a irmã Noirot mais centrada e que cuida dos detalhes financeiros da Maison Noirot. Ela, ao contrário das irmãs, não está em busca de amor e sentimentos e sim na prosperidade de seu negócio.

O que ela não contava é que acabaria conhecendo e se envolvendo com Simon Fairfax, marquês de Lisburne, um homem que se vê encantado com a irmã Noirot e obcecado por conquista-la.

Visando lhe dar uma lição, ela lhe propõe uma aposta que mudará a atitude dele de uma vez por todas. O que Leoni não imagina é que o mesmo ocorrerá com ela, que terá suas certezas e sentimentos bagunçados, dando assim forma ao nosso enredo. 


Bem pessoal, a essa altura acho que vocês já perceberam mesmo o quanto gosto de romances de época, não é mesmo? Rs É o meu gênero favorito e Loretta é uma das autoras que mais gosto desse gênero.

Gostei muito do primeiro livro dessa série, amei o segundo e por isso estava com altas expectativas para este exemplar e por isso acredito que acabei me frustrando um pouco em relação a essa leitura.

A autora, que costuma proporcionar histórias repletas de personagens femininas fortes, sensualidade, cenas divertidas e muita química, desta vez criou um enredo morno. Não consegui encontrar neste exemplar a química que costumo encontrar em seus outros casais e a trama se tornou arrastada para mim até a página 150, quando a história passou a me prender mais, mas, não a me conquistar.

Personagens secundárias como Lady Clara Fairfax e Gladys roubavam a cena quando apareciam e passei a ansiar mais por seus momentos que pelos do casal, o que não é o ideal em um livro.

Não sei se isso ocorreu por meu excesso de expectativa ou pelos elementos que citei acima, mas acredito que caso tenham interesse, devem ler para tirar as próprias conclusões, afinal, não é porque não amei o livro que você não possa amá-lo, não é mesmo? rs

Enfim, é um romance de época que para mim foi ok, meio sem sal, mas, bom para passar o tempo caso você não coloque grandes expectativas no mesmo. Acredito que seja uma leitura obrigatória para quem já iniciou a série das modistas. Agora espero ansiosa pelo desfecho da série, com uma personagem que vem roubando a cena desde o primeiro exemplar: Clara Fairfax! 

Bem pessoal, espero que tenham gostado da resenha de hoje. Não deixem de comentar ok? Beijos e até o próximo post!


19 comentários

Resenha #132: Nossa Música

Título: Nossa Música
AutorDani Atkins
Editora: Arqueiro
Nº de Páginas: 368

Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte. Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam. Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje estou aqui para falar do livro “Nossa Música” da autora Dani Atkins! Sei que vocês devem ter lido, no mínimo, umas trinta resenhas sobre esse livro, mas, não podia deixar de vir dar minha opinião, não é mesmo? Rs Bora saber um pouco sobre a história e minhas impressões de leitura?


E se o seu marido fosse o grande amor de outra pessoa?


Ally e Charlotte são duas mulheres que viram seu caminho se cruzar por causa de um homem, David. As coisas não terminam muito bem e ambas esperam não ter que se ver nunca mais. Mas o destino prega peças e, oito anos depois, ambas se encontram na sala de espera de um hospital.

Ally aguarda notícias do marido que, por um ato heroico acabou em um rio congelado e está entre a vida e a morte e Charlotte está na mesma situação, porém esperando notícias de David, que sofreu um infarto em uma loja.


Eu gostava de matemática, sempre gostara, mas nem seria capaz de montar um cálculo que desse conta da probabilidade de me encontrar dividindo a sala de espera de um hospital com a mulher que era dona de uma parte do coração do meu marido, uma parte que eu nunca conseguira conquistar.


Esse reencontro faz com que questões do passado sejam levantadas, segredos sejam revelados e sentimentos escondidos venham à toda, mesmo após tanto tempo. É em meio a este momento de dor que veremos uma história que fala sobre perdão, recomeços, família e amor se desenrolar.




Estou olhando há um tempo para tela do computador, pensando em como me expressar nessa resenha. Não me entendam mal, eu gostei muito desse livro! É uma leitura muito boa, com uma escrita delicada que Dani Atkins domina com maestria e tem uma trama bem dramática e repleta de questionamentos. Entretanto, eu tenho a impressão de que as pessoas se sentiram muito mais tocadas com a leitura do que eu.

Vejo pessoas falando que fecharam o livro por algumas vezes para chorar, que terminaram essa história apaixonadas pela mesma e para mim foi “” uma ótima leitura, de muita qualidade.

Não foi um livro que me levou às lágrimas, mas, a narrativa me despertou diversas emoções como compaixão por Ally e por seu marido, raiva de David, MUITA raiva de Charlotte e confesso que me emocionei com algumas cenas finais, chegando a ficar com um nó na garganta.

Além desse poder de despertar emoções, Dani conseguiu desenvolver uma trama única, onde o caminho de todos os personagens se cruza de maneira muito interessante, o que foi um dos pontos altos do livro.

Outro ponto que gostei muito foi o desenvolvimento dos personagens. Todos eles – secundários ou não – têm personalidades distintas e bem desenvolvidas, de forma que todos tem uma história que os levou até ali e isso é simplesmente sensacional.

Quanto ao final que tem arrebatado a todos e feito com que derramem lágrimas, achei bom e dramático, mas nada inovador. Já vi um final parecido em um livro do Nicholas Sparks e cá entre nós? Em várias novelas mexicanas. E não, isso não é uma ofensa ao livro, amo as novelas desse país! rs

Enfim! Foi uma leitura muito prazerosa, dramática, bem desenvolvida, fluida e capaz de despertar diversas emoções e que agora recomendo a vocês, com a consciência de estar indicando um livro com diversos temas e sentimentos abordados, dentre eles, e de maneira mais forte, o amor, em suas diversas faces, estágios e formas.

Bem pessoal, é isso! Espero que tenham gostado da resenha/indicação de hoje. Não deixem de comentar ok? Beijos e até o próximo post!


17 comentários

Resenha #131: Manual para românticas incorrigíveis

Título: Manual para românticas incorrigíveis
AutorGemma Townley
Editora: Record
Nº de Páginas: 368


Apesar dos protestos de amigos, Kate Hetherington ainda acredita ser possível achar seu príncipe encantado. Quando encontra um antigo guia, intitulado o "Manual para Românticas Incorrigíveis", Kate decide dar uma chance ao seu romantismo e seguir as dicas do livro para encontrar o parceiro ideal. E este será apenas o começo de uma aventura para a qual nenhum manual terá as respostas.

Olá pessoal, tudo bom com vocês? Hoje a resenha é sobre o livro Manual para românticas incorrigíveis, da autora Gemma Townley, irmã de ninguém mais, ninguém menos que Sophie Kinsella, minha autora favorita do gênero! Já falei sobre ele no canal, nas leituras do mês de janeiro, mas, como sei que tem muita gente que não acompanha as duas redes, vim conversar um pouco sobre ele por aqui também! Bora saber o que achei da leitura?




Se você encontrasse um manual que promete te colocar o amor da sua vida de bandeja em sua frente, você embarcaria nessa leitura?

Kate é uma romântica inveterada que está cansada de esperar pelo “príncipe encantado”, aquele que fara a borboletas de seu estômago se agitarem, suas mãos tremerem e seu sangue ferver. Ela esperou pelo “cara perfeito” por toda vida e, agora com quase trinta anos, começa a se desesperar e perder as esperanças de que esse homem finalmente apareça em sua vida.

Após um papo com seus melhores amigos, Sally e Tom, amigos de longa data que são totalmente o seu oposto, já que são extremamente práticos, ela acaba voltando para casa chateada e descobre um livro no Ebay chamado “Manual Para românticas incorrigíveis” que promete fazer com que ela conquiste o homem do seus sonhos seguindo alguns passos e, caso o livro não traga seu amor, seu dinheiro será devolvido. A proposta tentadora e o impulso de encontrar “A” pessoa fazem com que ela compre o livro e aí toda a nossa história começa.

Kate passa a seguir as regras do livro e encontra um homem que no primeiro momento parece ser o príncipe encantado. Na medida em que a leitura do manual vai avançando, Kate passa a ser uma mulher diferente, colocando Joe em primeiro lugar.


Kate começa então a se questionar se vale tanto a pena mudar quem é para estar com alguém e em meio a suas trapalhadas e confusões ela começa a levantar questionamentos para o leitor sobre amor próprio, pessoa ideal e o suposto par perfeito.


Este é um daqueles romances água com açúcar ótimos para ler em uma tarde, ou naquele momento que você simplesmente quer uma leitura fofa.

Este é um daqueles livros repletos de clichês, que você já adivinha o final nos primeiros capítulos (no meu caso, nos primeiros diálogos rs), mas que te proporciona uma leitura leve, prazerosa e que traz questionamentos bem interessante em meio a risadas e suspiros.

Esta é uma história sobre amadurecimento. É sobre se amar e se aceitar antes de querer ser “perfeita” para alguém. É sobre não esperar um príncipe encantado e sim uma pessoa que some, que agregue amor e coisas boas em sua vida e que te faça feliz.

Um ponto que achei interessante nesse livro é o ponto de vista da amiga de Kate que também é mostrado. Ela é o oposto de Kate, sendo extremamente cética e pragmática. Observando o relacionamento das duas, temos novamente uma mensagem sobre a necessidade de um balanço em relacionamentos.

Estes não são os únicos pontos de vista mostrados na história e esse representa um diferencial da mesma. Temos a visão da personagem principal, dos seus amigos, do suposto príncipe encantado e de diversas outras pessoas, o que nos dá um panorama completo da história.

Resumindo, esta é uma leitura despretensiosa que passa vários ensinamentos enquanto te arranca risadas. É um daqueles livros fofos que você lê em uma sentada, mas, que vai ter um lugarzinho no seu coração por um bom tempo. Tendo isso em vista, fica aqui minha recomendação para os amantes de chick lit e os que querem se aventurar no gênero.

E essa foi a recomendação de hoje pessoal! Espero que tenham gostado e que não deixem de comentar ok? Beijos e até o próximo post!


14 comentários

Resenha #130: Psicose

Título: Psicose
AutorRobert Bloch
Editora: Darkside
Nº de Páginas: 240


Psicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicada originalmente em 1959, livremente inspirada no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em Psicose, sem edição no Brasil há 50 anos, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bate, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.

Oi pessoal, estava sumido por aqui, mas finalmente a faculdade deu uma folga, e hoje venho conversar com vocês sobre o clássico, Psicose.

Neste livro, invadiremos a vida e pensamentos de Norman Bates um senhor extremamente introspectivo, mas que guarda muitos mistérios em uma mente nebulosa. Norman é o grande responsável pelo Bates Motel, uma espécie de pousada que foi um investimento da família, após Norma Bates, sua mãe, ser abandonada pelo marido. Norma Bates era uma mãe altamente protetora, o que fez com o seu filho, mesmo de idade avançada, nunca saísse de baixo das suas saías. Tal superproteção gerou consequências que se mostrarão ao longo da história.

“Ela só queria protege-lo...”

No outro lado (mas plenamente ligados) da trama, temos Mary e sua irmã e o seu noivo, Sam. Mary e Sam se conheceram e logo se apaixonaram, planos e mais planos foram feitos, inclusive de casar, mas o noivo pretendia quitar suas dívidas e evoluir o seu negócio para aí sim, concretizar o matrimônio. Mary já inquieta com o tempo que nunca passava, pois Sam deu um prazo de alguns anos, acabou tomando uma atitude precipitada e pretendia ir de encontro a Sam, e no caminho da cidade do noivo, ela acaba se perdendo e acaba parando no Bates Motel, que acabou ficando um pouco escondido e até esquecido, pois a avenida em que ele fora erguido, acabou ficando em segundo plano, com a construção de  uma nova e melhor rodovia, é a partir dessa chegada de Mary, uma linda jovem por sinal, que todos os mistérios do livro começam a se desenvolver e conheceremos lados obscuros e complexos do Sr. Bates.


Uma escrita fluída, de termos consistentes que rapidamente descrevem e colocam em nossa mente um ambiente de um suspense inigualável, Robert Bloch consegue fazer uma conexão entre personalidade e ambiente, que me deixou totalmente imerso na história. Como não ficar apreensivo com a tão conhecida cena do “grito no banheiro”.  Ao longo do desenrolar dos fatos, vamos conhecendo um pouco sobre a vida dos personagens, e um pouco do que de fato motivou Bates a se transformar no que se transformou.

Nesta obra, teremos momentos de aflição, dor, raiva, inquietação e alguns aspectos que a princípio parecem mal esclarecidos, mas que no final das contas acabam fazendo um enorme sentido. Por ser uma história bastante conhecida, muita gente já sabe do que se trata pois inspirou um filme e uma série, só que os três contém algumas diferenças, ainda não assisti o filme, porém vi a série, que acabou fazendo uma adaptação que pegou a essência da história, mas não a história em si, comecei a ler com muitos estereótipos formados na mente, mas foram se dissipando e dando lugar aos personagens tão característicos do Robert Bloch.

Um final realmente esclarecedor, pois em algumas partes achei a história lenta, mas tudo ali era parte da construção de um todo, que fizeram todo sentido ao fim da leitura. Leitura recomendadíssima e claro a série também para termos uma visão mais completa e vermos pontos distintos de uma história tão surpreendente. Pontos também para a incrível edição da Darkside que sempre dá um show a parte nas edições em que publica.




18 comentários